20 de abr de 2011

Conhecimento multiplicado

Plataforma livre de pesquisas e informações, Internet rompe fronteiras e promove o aprendizado gratuito em rede

Juliana Marques

Com o surgimento das inúmeras possibilidades e facilidades de comunicação, a internet passa a ser uma das protagonistas de projetos voltados para educação. Afinal, é na grande rede digital que se torna possível a reprodução em escala global de informações. Seja em portais colaborativos ou sites com conteúdo de domínio público, nunca foi tão fácil ter acesso a conhecimento de qualidade, como livros, artigos científicos e até mesmo material audiovisual.

Estimulada a otimizar o aprendizado por intermédio de um intercâmbio de informação e disponibilidade de material acadêmico on-line, a Fiocruz promoveu entre os dias 11, 12 e 13 de abril o Seminário Internacional Acesso Livre ao Conhecimento. Pesquisadores de diversos países se reuniram para garantir o acesso livre a material de saúde pública de maneira democrática e ainda sob novas discussões sobre o direito autoral virtual.

Um dos coordenadores do portal Campus Virtual de Saúde Pública, José Baudilio Jardines Médez, afirmou que atualmente é impossível pensar no conhecimento em saúde sem explorar o compartilhamento de plataformas virtuais. “Instituições em todo o mundo produzem milhares de pesquisas todos os anos. Como difundir este conhecimento e tornar pública a informação? As Bibliotecas virtuais permitem uma convergência otimizada deste material tão rico para o conhecimento”.

Campus Virtual: rede integra material de saúde pública de diversos países da América Latina. Seu objetivo não é apenas oferecer material científico de qualidade, mas também prover cursos virtuais, facilitando o processo educativo. O Brasil é um dos países que mais contribui para inserção de conteúdo

Ao apresentar a plataforma do Campus Virtual, Méndez relembrou a primeira iniciativa de uma biblioteca virtual livre, que teve início em 2001, no Instituto Tecnológico de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês). E de lá para cá, inúmeras bibliotecas e museus em todo o mundo passaram a armazenar muito mais do que o catálogo na rede. “Hoje, o intercâmbio é ainda mais importante do que simplesmente a presença de documentos. O Campus Virtual, por exemplo, investe em plataformas de e-learning, que significa o aprendizado eletrônico. Com elas é possível criar atividades pedagógicas inovadoras por intermédio de vídeos, áudio, animação interativa e simulações”, explicou o coordenador.

Na mesma semana do Seminário Internacional, a Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, anunciou a criação da maior biblioteca virtual do mundo, que reunirá conteúdos do Google, da Biblioteca do Congresso Americano, entre muitas outras instituições. O portal não reunirá apenas material escrito, mas vídeos, imagens e até mesmo infográficos. O projeto é inspirado em uma iniciativa europeia que já está on-line, o site Europeana.

Europeana é atualmente a maior biblioteca virtual da continente europeu. Ela reúne cerca de 1.500 instituições de toda a comunidade europeia e disponibiliza conteúdo multilíngue, inclusive em português

Já está pensando em algum projeto, texto ou vídeo para participar da Olimpíada?
Conheça outras Bibliotecas Virtuais e iniciativas que têm como principal objetivo difundir o conhecimento e auxiliar pesquisas e o aprendizado.

  • Quem deseja aprofundar conhecimentos sobre saúde pode acessar o portal da Editora Fiocruz e obter artigos científicos sobre os mais diferentes temas, além de informações sobre o uso da obra no novo site Acesso Aberto, da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP).
  • Livros completos – com destaque para as obras de Machado de Assis – músicas e publicações especiais para professores, o portal Domínio Público faz sucesso na internet, principalmente entre os estudantes que desejam realizar trabalhos sem se preocuparem com os direitos autorais.  
  • Até agora um dos projetos que engloba o maior número de bibliotecas do mundo, a Biblioteca Digital Mundial é uma iniciativa da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) e tem como principal missão disponibilizar material histórico das mais diferentes culturas em sete idiomas. É imperdível para quem gosta de História.  
  • Além de disponibilizar obras on-line, a internet também facilita a troca do livro físico. Quem deseja doar ou receber livros pode acessar o site Biblioteca Mais Feliz. O portal integra o projeto de jornalismo educativo Catraca Livre. Participe!