24 de mar de 2011

Perigosa e silenciosa

Na semana do Dia Mundial do Combate à Tuberculose, instituições de saúde se mobilizam para conscientizar a população sobre a doença

Juliana Marques

Uma das enfermidades infecciosas mais graves do mundo, a tuberculose é também a que contabiliza o maior número de óbitos em países desenvolvidos. Apenas no Brasil, aproximadamente 80 mil casos são notificados por ano – sendo cinco mil a estimativa de mortes decorrentes da doença. Por isso, na semana do Dia Mundial do Combate à Tuberculose – 24 de março – órgãos de saúde promovem campanhas informativas e culturais, com o objetivo de chamar a atenção para tratamentos, sintomas e curas.

No Rio de Janeiro, onde os índices são mais alarmantes, 11 mil casos são registrados por ano. Diante das estatísticas, secretários e técnicos de saúde pública estão empenhados em desenvolver novos medicamentos, além de promoverem um atendimento mais cuidadoso e eficiente, especialmente à população mais sucessível à bactéria bacilo de Koch (Mycobacterium tuberculosi), como moradores de rua, presidiários e portadores do vírus HIV.


O Mycobacterium tuberculosi, também conhecido como bacilo de Koch, é o vilão da tuberculose e é transmitido pelo ar (Foto: Agência Fiocruz)

Com atividades promovidas pelo Núcleo Brasil sem Tuberculose, do Fundo Global Tuberculose Brasil, a semana de mobilização no combate à doença conta ainda com parcerias da Fiocruz e do Centro de Referência Professor Hélio Fraga. Entre as principais atividades, destacam-se a apresentação de peças teatrais e distribuição de cartilhas na Cidade de Deus; e o lançamento do programa de televisão Pé na Estrada, que será transmitido pelo Canal Saúde, emissora da Fiocruz.

Para o médico sanitarista do Ministério da Saúde Dr. Draurio Barreira, o principal objetivo das campanhas é eliminar preconceitos e alertar a população: “Há cura e tratamento para a tuberculose. O monitoramento e acompanhamento de agentes de saúde é essencial, mas é quando a população passa a conhecer os sintomas da doença que os diagnósticos se tornam  mais precoces, evitando casos fatais,” afirma o médico coordenador do Programa Nacional de Controle da Tuberculose (PNCT).

Segundo o médico Draurio Barreira, Rio de Janeiro e Amapá são os estados com os maiores índices de tuberculose. As menores encontram-se em Goiás e no Distrito Federal
A tuberculose ganhou uma atenção especial do Brasil e da França em 2006, quando os países se uniram para lançar a agência internacional Unitaid, administrada pela Organização Mundial da Saúde. Com a adesão das Nações Unidas e países como Noruega e Nova Zelândia, a agência se empenha em arrecadar fundos para combater a AIDS, tuberculose e malária em 94 países do mundo. Segundo o secretário-executivo da agência, Dr. Jorge Antônio Bermudez a meta é investir em medicamentos e tratamentos inovadores: “Atualmente 3 em cada 4 crianças com tuberculose no mundo recebem os medicamentos da Unitaid e a agência já economizou U$ 180 por pessoa com a criação de novos remédios”.

Visitantes aprendem sobre a história da doença na exposição itinerante “A Peste Branca”, em cartaz no campus Fiocruz Farmanguinhos, em Jacarepaguá

Assista ao vídeo de apresentação do Programa Pé na Estrada, que está sendo concluído para ser transmitido no Canal Saúde: http://dl.dropbox.com/u/19595799/TUBERCULOSE_CLIPE.mp4
   
Saiba mais sobre a tuberculose - Quais são os sintomas e como se prevenir?

  • A tuberculose é transmitida pelo ar. As bactérias conhecidas como bacilo de Koch são lançadas quando a pessoa doente tosse, fala ou espirra. Portanto, a contaminação não ocorre por intermédio do contato com saliva, sangue ou secreções, e tampouco com o compartilhamento de copos, pratos, roupas, toalhas e vaso sanitário.
  • Os principais sintomas são: tosse (por mais de três semanas), febre baixa, suor noturno, falta de apetite, perda de peso, cansaço e dor no peito. Apesar de a tuberculose pulmonar ser forma mais comum, a doença também pode atingir outros órgãos. 
  • Para evitar a transmissão da tuberculose: cubra o nariz e a boca ao espirrar e ao tossir; mantenha a casa limpa e arejada, e caso perceba alguns dos sintomas, procure atendimento médico imediatamente.
  • O Dia Mundial da Tuberculose foi lançado em 1982 pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pela União Internacional Contra Tuberculose e Doenças Pulmonares. A data foi uma homenagem aos 100 anos do anúncio do descobrimento do bacilo causador da tuberculose, ocorrida em 24 de março de 1882, pelo médico Robert Koch.

Conheça a história da doença:
Fundo Global Tuberculose – Brasil
Fundação Oswaldo Cruz – Glossário de Doenças