23 de fev de 2011

Um pedaço da oceanografia nas escolas

Grupo de pesquisadores se reúne e elabora material especial sobre oceanos para professores

Juliana Marques

A partir de aulas, seminários e ideias do Departamento de Geologia da Universidade Federal Fluminense (UFF), um grupo de pesquisadores decidiu compartilhar o conhecimento acadêmico adquirido com professores e alunos dos ensinos fundamental e médio. Eles se reuniram com especialistas das áreas de biologia, geografia, matemática e geologia - que inclui ainda pesquisadores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) - e elaboraram um material didático especial, sobre a preservação da vida marinha com o objetivo de estender o conhecimento às escolas do Rio de Janeiro.

Coordenado pela pesquisadora e geóloga Susanna Schiel, da UFF, o projeto teve início, em 2008 e ganhou o apoio da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ). Na ocasião, cerca de 40 professores da região litorânea fluminense se reuniram com os pesquisadores e especialistas da Marinha em alto mar para visitar ilhas da cidade de Arraial do Cabo. Com o auxílio do Instituto de Estudos do Mar Almirante Paulo Moreira (IEAPM), os educadores aprenderam sobre o surgimento das composições rochosas das praias, acúmulo de sedimentos e a relação das condições do mar com ar atmosférico.

De acordo com a professora de geografia Janaína Almeida, o projeto foi criado para aproximar professores e estudantes de temas que são frequentemente abordados pela mídia, mas são pouco explicados em sala de aula. “Muitos alunos assistem reportagens sobre mudanças climáticas nos telejornais, mas ficam cheios de dúvidas. Nosso objetivo é oferecer ao educador uma maneira simples e divertida de abordar e explicar esta e outras questões em aula”, explica a educadora, que participou do desenvolvimento e execução do projeto na instituição em que trabalha, a Escola Municipal Hermínia Josetti, no município de Teresópolis.

Alunos da Escola Municipal Hermínia Josetti atentos à palestra da Polícia Florestal e de Meio Ambiente, no município de Teresópolis, antes de realizarem uma atividade de campo no Parque Nacional da Serra dos Órgãos.
(Foto: Janaína Almeida)
Para oferecer aos professores um material ideal para as aulas, os pesquisadores elaboraram um CD-ROM com textos, slides, informações e fotografias; além de uma apostila com diferentes informações sobre os oceanos. Eles consultaram instituições como a Marinha e o projeto TAMAR, e aproveitaram materiais da própria universidade. Apesar da iniciativa ter sido voltado inicialmente para escolas da Região dos Lagos, professores e alunos da Região Serrana também mostraram interesse, especialmente em assuntos como o ciclo da água e o meio ambiente.

Assim, professores da Serra fluminense embarcaram em um navio oceanográfico da marinha que realiza diversos levantamentos e medições físico-químicas no oceano da costa do estado. A professora Janaína conta que posteriormente, os educadores exibiram filmes aos estudantes e prepararam uma atividade de campo do Parque Nacional Serra dos Órgãos: “Os alunos puderam ver de perto bacias hidrográficas, fazer anotações e verificar que a poluição que começa na Serra segue direto para foz, nos mares. Com fotografias e pesquisa na internet, os jovens se mobilizaram para montar uma fotonovela e conscientizar outros colegas”.

Professores do ensino básico da Região Serrana do Rio têm a chance de ver de perto a coleta de material para pesquisas no navio oceanográfico da Marinha NocAntares (Foto: Janaína Almeida)
Após as fortes chuvas que atingiram milhares de famílias na Serra do Rio de Janeiro, a meta dos pesquisadores agora é dar continuidade ao projeto e expandir as atividades para  a Educação de Jovens e Adultos (EJA). Os coordenadores querem distribuir ainda mais materiais didáticos para expandir o conhecimento da vida marinha nas escolas brasileiras.

Professores interessados em participar do projeto ou obter o material didático podem entrar em contato com o Departamento de Geologia da UFF: http://www.igeo.uff.br/